Autopoiese do escritório

Diretamente da biologia nos vêm o termo autopoiese, cunhado pelos chilenos Maturana e Varela, que descreve a capacidade de um sistema vivo se produzir a si mesmo, mantendo sua identidade apesar das interações com o ambiente. Daí a teoria de sistemas dá um salto. Agora os sistemas não são abertos ou fechados, mas simultaneamente abertos e fechados. Luhmannn, posteriormente, leva o conceito para as organizações e demonstra como as decisões e a comunicação entre as pessoas promove a inteligência social que vitaliza o conjunto.

Na GrandiGaray costumamos insistir com nossos clientes sobre a importância da identidade do escritório. Recomendamos sempre para que nunca se esqueçam de seu DNA, sua singularidade. Mediante uma série de ações gerenciais, pode-se perpetuar a consciência de quem somos, de onde viemos e para onde estamos indo. Lembrar disso é preservar a vida do escritório. Esquecer-se é a morte.

Os sócios devem custodiar a identidade do negócio. Observando a dinâmica do mercado junto com as demandas organizacionais, são eles que podem preservar a vitalidade do conjunto. Os líderes devem orientar constantemente – com decisões e com clara comunicação – os valores e a visão. Não se limita unicamente a um exercício de planejamento estratégico. Trata-se de uma cotidiana atenção (memória) lutando contra a entropia (esquecimento).

Um sistema vivo não pode ser organizado mecanicamente. Procedimentos ajudam, mas não suprem toda a necessidade das equipes de trabalho. Se a comunicação é a “operação social genuína”, parafraseando Luhmann, melhor é assumirmos sua vital importância para a condução de um negócio intensivo em conhecimento. Uma organização de serviços profissionais precisa de gestão humana. E a humanização da gestão passa por dar mais importância às pessoas e suas conversações do que às regras escritas e os fluxogramas. Estes últimos só servem de apoio.

Essencial mesmo para um sistema vivo é aquilo que lhe permite a manutenção da sua vida. Nas células, se nota a autopoiese na reprodução das organelas dentro do citoplasma. Nas organizações, temos de reproduzir o comportamento profissional dentro da cultura do negócio. A inteligência do sistema está em interpretar e selecionar a informação que lhe chega do meio externo e também a que se processa no seu local próprio.

Vida ou morte! Grita um general no campo de batalha. Inteligência ou burrice, sussurra o manager no ambiente de trabalho. Portanto, vida longa aos escritórios profissionais!

—-

Há comunicação no seu escritório? Como são tomadas as decisões? Existe interação com o mercado simultaneamente ao exercício colegiado dos sócios e líderes? Atenção: se o seu negócio não apresenta as características de um sistema vivo, cuidado, pois em breve pode mesmo deixar de estar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s