Conceito e contexto

Estratégia é simultaneamente conceitual e contextual. Conceitual porque o bom estrategista precisa ter certos conhecimentos que serão úteis em qualquer situação; existe uma doutrina geral que não muda. Contextual porque essas ideias somente se completam na sua aplicação em um determinado ambiente; seja o campo de batalha, o mercado ou os tabuleiros.

Perceber que há uma doutrina geral que permeia os tratados é fácil, pois basta estudar um pouco e vemos que existem alguns princípios subjacentes a qualquer escola. Por exemplo, independente do campo de aplicação, a estratégia sempre visa a vitória com o mínimo de perdas – se essas perdas representam exércitos, dinheiro ou peças, não importa. No entanto, um general vitorioso não necessariamente vai vencer no mundo dos negócios… isso vai depender de sua capacidade de compreender o novo contexto e ali aplicar sua disciplina de vitória.

Conceito e contexto é como conteúdo e continente. Impossível separá-los, pois o conteúdo assume a geometria do continente que, por sua vez, ganha sentido quando o conteúdo lhe ocupa o espaço. Imagine um copo d’água: sem o copo a água se dispersa, sem o líquido o copo é inútil. Ademais, o copo atribui uma característica a mais à água (forma) e a água oferece uma função para o copo (função).

Dizer que estratégia é contextual não nega a possibilidade de que um mesmo estrategista possa ter sucesso na guerra, nos negócios, nos esportes. Mas para ter sucesso em diferentes campos ele deverá compreender e dominar as diferentes circunstâncias, suas diferentes variáveis, os diferentes participantes e competidores. Essa premissa, por sua vez, já é um conceito, não?

Você que é líder de um negócio intensivo em conhecimento – advocacia, arquitetura, engenharia, software etc. – está ciente de que na maioria das vezes os gestores buscam no paradigma industrial os meios de condução de um escritório de serviços profissionais? Reconhecimento equivocado do contexto.

Às vezes ocorre também de que os sócios não se dedicam muito a “pensar” o escritório, não é verdade? Falta de atenção aos conceitos.

A melhor maneira de conduzir um negócio é associando ambos os elementos. Desenvolver ideias estratégicas e entender bem a dinâmica competitiva. Daí nascem as melhores estratégias e as melhores histórias de êxito para se contar à mesa tomando um bom vinho.

—-

Conceito e contexto é como o vinho e o cálice. É melhor tomar um bom vinho num copo de plástico do que tomar um vinho ruim numa taça de cristal. Mas o melhor mesmo é combinar ambos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s