Championing

Championing é uma forma de liderança em serviços profissionais baseada em conhecimento técnico e com ampla influência na estratégia do negócio. É a capacidade de transformar conhecimento em valor de mercado, descobrindo ou criando uma oportunidade para vender novos serviços. É em torno dessas ideias que nascem novas práticas, disciplinas ou núcleos de trabalho em um escritório; ou quando nascem um novo escritório.

É a típica situação do sócio fundador. A atitude empreendedora de um advogado, arquiteto, engenheiro ou qualquer outro profissional que cria um negócio a partir de um conhecimento que serve como catalisador de novos clientes, bem como de uma equipe de trabalho que se une ao seu líder. É liderança apoiada em expertise, portanto, e que tem impacto no business como um todo. Este é o terceiro tipo relatado por Empson e Langley no Oxford Handbook of Professional Service Firms.

Todo novo negócio nasce de algum risco assumido por um Dom Quixote, com seu Sancho e com sua Dulcineia, (que cada um se reconheça no personagem que queira) quando vê o que antes não era visto, quando vê diferente do que os outros viam. Quando os moinhos de vento aparecem como gigantes a serem confrontados, surge uma nova possibilidade de negócio. E a maioria dos escritórios só existe devido a essa saudável loucura. Alguém teve de desafiar a incerteza. Alguém teve de assumir-se como o champion do torneio de justas cujo inimigo maior é, normalmente, o medo de dar errado.

Esses inovadores, não raro, ganham ainda a condição de guru para os seus clientes e para os seus pares. Os clientes buscam-no pela capacidade de ajudá-los a solucionar problemas complexos e seguem-no, confiantes em seu método. Os colegas, agora aprendizes, copiam seu código de conduta e vão no rastro de suas ideias, de escudeiro a futuro cavaleiro. Com o tempo, aparece à sua volta uma legião de seguidores que leem seus livros, assistem às suas palestras, contratam os seus serviços e insistem em ter sua companhia valorosa para lidar com os maiores desafios que possam enfrentar – dragões que guardam tesouros.

Liderar em serviços profissionais requer uma série de qualidades. Não é só o know-how intelectual propriamente dito. É preciso uma boa dose de coragem, de inteligência emocional e social para fazer suas ideias entrarem pela grande porta dos castelos da dúvida e da incerteza. Ativos intangíveis, clientes interativos e colegas inseparáveis conformam um contexto quase épico. Quem vai vestir a armadura e montar o cavalo?

—-

champion medieval é um paladino, um cavaleiro que defende um estandarte ou a honra de uma dama. A liderança em serviços profissionais também tem “um quê” de honra. Transformar conhecimento em valor permite-nos ser reconhecido como uma pessoa séria, confiável, interessante e atraente.

Podemos até nos imaginar, depois de solucionado o problema do cliente, indo embora montado num cavalo, à luz do sol poente do horizonte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s