Escritório não é fábrica: tempo

Calcula-se a produtividade de uma máquina pela quantidade de peças por minuto que ela pode produzir. Como você mediria a produtividade de um profissional do conhecimento? Doravante o tempo precisa ser resgatado da tirania do relógio. Os ponteiros marcam o que se pode fazer fisicamente, mas não definem o que se pode fazer com o pensamento.

Daí que cobrar os honorários por hora pode ser arriscado: você arrisca não receber o que é justo pela sua contribuição e o cliente arrisca não usar os serviços como precisa. Um insight que soluciona um problema complexo pode surgir em questão de segundos. Ele terá o valor correspondente aos ganhos, resultados, benefícios e vantagens que o cliente obteve, independente do tempo que você gastou para entregá-lo.

Da mesma forma, querer aplicar um controle de horas trabalhadas com sua equipe pode ocasionar uma perda de criatividade, de desenvoltura e de aprofundamento. O resultado disso? Ora, certamente, a perda de produtividade. Querendo aumentar a eficiência, perde-se-a.

Mas o tempo nos serviços profissionais é elástico. Podemos lidar com ele de um modo que em outros negócios não é possível. Por exemplo, podemos fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Quem não fez reuniões com colegas na estrada, enquanto dirigia em direção a um cliente? Quem não aproveitou uma conversa com um cliente para  ajudar outro? Ou quem nunca obteve a solução de um problema enquanto estava tomando vinho à noite?

Como gerir o tempo em serviços intensivos em conhecimento? Como monitorar a produtividade? Uma sugestão é buscar outros indicadores. Que tal medir a eficiência do trabalho na satisfação do cliente, no número de contratos novos conseguidos, em novos conteúdos gerados, na quantidade (e na qualidade!) das indicações recebidas, no aprendizado técnico obtido no projeto, no maior acesso a tomadores de decisão dentro de uma empresa etc.? Desde já proponho que isso seja objeto de diálogo entre os sócios. Avaliar o desempenho é um tema estratégico na medida em que o tempo, embora seja limitado para o corpo, é virtualmente ilimitado para a mente. Pode-se avançar muito sem sair do lugar – no bom sentido.

—-

É, cartão ponto não nos serve… Ao querer controlar o tempo, corre-se o risco de perder tempo. Escritório não é fábrica.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s